Diante de Você

Parece que vê minha alma
no fundo sem receios
sem nada que a impeça
de ser o que é.

Mudo,mutante, mudar,
esquecer sem querer
esses lamentos que vêm
e me impedem de esquecer

Quero, não consigo
tento e prossigo
com essa dor dentro do peito ,
qual estertor,
sulcando tudo que quero,
aspirando meu ser arraigado,
teimando, em não sair de mim.

Largue-me, deixe-me!
Está se tornando
sentimento mitigado,
sulcado
de estranhas sensações
que me impedem
de ver a razão...


Não peça socorro
Venha comigo,
agora e sempre.
Nem que seja na sintonia
dessa música
a nos embalar,
naqueles sem futuro
e sem presente
e sem passado,
pois tudo já passou...

Eda Carneiro da Rocha