Descoberta

Descobri-me inteira
A essência do meu ser.
Procuras em vão pela vida
Sem saber o que era
Nem quem era.
Seria demais para mim!
Jovem, desafiando o mundo com a minha essência
Que lutei a vida inteira
Para descobrir o que não sabia
E estava latente em mim!
Pulsava, mais forte cada dia...
E eu , estrangulando meus pensamentos,
Meus desejos,
Pois não poderia deixar saber
Quem era , o porquê...
Deus, ajudai-me, não posso mais esconder-me.
Não há onde , nem porque
Pois só quero ser o que sou
Sem medo nem preconceito
Gritar ao mundo a minha alegria
E a minha dor,
O meu desamparo e minha agonia
Presos dentro de mim.
Neste cortejo que celebra a vida
Mesmo de mentira...
Não. Não sou uma mentira.
Sou o que sou .Valho pelos meus atos
Pelo amor que sinto.
Não o sinto profano,
Eu o sinto divino
Pois é somente amor...
Amor livre, incondicional, latente
Que pulsa nas minhas veias e coração.
Não serei covarde.
Serei eu mesma
Na minha descoberta
Na minha nova vida
Que era tão antiga.
E desabrochou como flor no meu coração
Doído e magoado
De tanto amor.
Descobri-me. Sim, sou o que sou. Amo e... amo
E descobri o meu amor...

Eda Carneiro da Rocha